quarta-feira, 16 de maio de 2012

Se Conselho Fosse Bom, Não Se Dava Se Vendia [?]

Se conselho fosse bom, não se dava se vendia... versículo do mundão que descreve o procedimento de uma multidão cristã como eu já havia denunciado na postagem Redes Sociais e o Cristão Moderno: apto para falar e tardio no ouvir. Isto porque para dar conselho é necessário ouvir e para ouvir é necessário investir tempo. Recurso escasso para o dia-a-dia das grandes metrópoles ou mau administrado? Seja como for...

Se conselho fosse bom, não se dava se vendia... se você quiser vender, eu tô a fim de pagar. Na Bíblia nós aprendemos que na multidão de conselhos há sabedoria [Pr 11.14], mas como tê-la se não há quem os dê? As redes sociais são nada menos do que uma Avenida Paulista virtual. Multidão que se esbarra, nem se olha. Gente que não dá bom dia e nem pede licença. É questão de conveniência e interesse pessoal.

Se conselho fosse bom, não se dava se vendia... esconde por trás uma placa escrita "Não Pertube". Ocupado demais para o próximo faz perder a sensibilidade para a urgência alheia. Alguém está precisando de uma resposta e minha resposta pode ser nenhuma porque eu me esqueço que também sou o próximo. Eu também posso precisar um dia, quando aquele aliado não estiver por perto para me ouvir. Ah, mas aí vou pensar no assunto, então, até lá que a fila ande e você... bem, você... como é o seu nome mesmo?

Se conselho fosse bom, não se dava se vendia... ainda usamos a Bíblia para pregar, entretanto usamos verdades mundanas para viver. Trocamos versículos por frases de efeito deixando a racionalização garfar a benignidade. Damos espaço para o avançar das seitas e heresias porque quando os que tem sede e fome batem à porta, não atendemos. Não estamos lá. Não respondemos o email. Não respodemos a mensagem no Facebook. Depois é só dizer, ih, eu não recebi ou ih, eu não cheguei a ver e tá tudo certo? Não, não tá não.

Se conselho fosse bom, não se dava se vendia... alguém que te escreve é um alguém, irmão. Uma pessoa, um ser humano. Não saber o que dizer, não justifica o dizer nada. Quem não gosta de saber que alguém se importa? Portanto, que a sua indiferença não macule seu ministério e lhe faça conviver com a culpa. Lembre-se de que você também é alguém que um dia pode precisar e queira Deus não se depare consigo mesmo. A face no espelho com um diadema escrito: indiferença.

Permaneçamos firmes!

Compartilhe
Bookmark and Share





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link Within

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Direitos Autorais Preservados